Voltar

Fundação Casa e Instituto Sou da Paz iniciam diálogo para parceria

Intenção é desenvolver um retrato dos adolescentes que cumprem medida socioeducativa e atuar evitando o ingresso de jovens em risco social na criminalidade

 A presidente da Fundação CASA, Berenice Giannella, participou na quarta-feira (29/04) de uma reunião com a diretoria executiva do Instituto Sou da Paz, organização não governamental que trabalha para prevenir a violência e promover a cultura de paz. 

O encontro teve como foco iniciar o diálogo entre as instituições e propiciar o início de uma parceria, com o objetivo de auxiliar e aprimorar as políticas existentes para que jovens em situação de risco social, bem como egressos da Fundação, não entrem ou retornem ao mundo do crime. 

O Instituto Sou da Paz pretende entender a dinâmica que envolve alguns atos infracionais, prioritamente o roubo e os homicídios, e a partir daí, traçar as estratégias necessárias. 

Como destaca o diretor executivo da ONG, Ivan Marques, a prevenção do ingresso dos jovens ao mundo do crime será um dos temas principais. “Temos a intenção de mapear as deficiências, bem como os estímulos que levam o adolescente a cometer um ato infracional. Precisamos ter subsídios adequados da realidade que rodeia esse jovem e, com isso, chegar a um diagnóstico preciso”, disse. 

Inicialmente, o Instituto terá acesso às informações sobre os jovens que cumprem medida nos centros da Fundação e que também residam nas proximidades do bairro Brasilândia, da zona norte de São Paulo. 

De acordo com o coordenador da área de prevenção do Instituto, Rodrigo Pereira, a parceria também envolverá a participação das famílias desses adolescentes. “Inicialmente, teremos 12 famílias nessa fase experimental do projeto. Sete delas já foram contatadas”, completou Pereira.

Com o diagnóstico feito, o grupo de trabalho terá condições de propôr intervenções aos desafios identificados. Durante a reunião, foi discutido a importância de cruzar os dados com as informações da Secretaria de Segurança Pública. “Essa realidade contribuirá para a prevenção da criminalidade”, acrescentou o diretor executivo, Ivan Marques. 

Berenice Giannella lembrou ainda a preocupação com os adolescentes egressos. “É importante que se desenvolvam ações que acompanhem os jovens após sairem da Fundação CASA, para que eles deem continuidade aos planos e metas traçados aqui dentro”, disse. 

As próximas etapas devem priorizar a formalização da parceria entre as instituições, além de visitas às áreas técnicas da Fundação CASA.